quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Cultivo do Almeirão-de-árvore (Lactuca canadensis )


Almeirão-de-árvore (Lactuca canadensis )

NOMES POPULARES: Almeirão-roxo, almeirão-do-mato, Língua de vaca.

Hortaliça folhosa da família Asteraceae, a planta é anual, ereta e vigorosa, podendo atingir 2,0 m de altura. 
O almeirão-de-árvore é nativo da América do Norte, sendo porém encontrado de norte a sul do Brasil. Apresenta folhas lanceoladas, por vezes lobadas ou repicadas, verde-claras lisas ou com nervuras roxas (variegadas). 
Tem inflorescências em capítulos, flores amarelas e sementes pretas.

A almeirão-de-árvore está sendo estudada no âmbito do projeto “Avaliação agronômica, caracterização nutricional e estudo da vida útil de hortaliças não convencionais”, da Embrapa Hortaliças, que busca tornar acessíveis informações sobre essas espécies com o intuito de fomentar a produção, o consumo e a comercialização. Outras espécies estudadas são: amaranto, anredera, azedinha, beldroega, bertalha, capuchinha, cará-do-ar, caruru, fisális, jambu, major-gomes, mangarito, maxixe-do-reino, muricato, ora-pro-nóbis, peixinho, serralha, taioba e vinagreira.



Plantio

Adapta-se a vários tipos de solo, desde que bem drenados, não compactados e com bom teor de matéria orgânica. 
O plantio é feito em canteiros com 1,0 m a 1,2 m de largura por 10 cm a 15 cm de altura. 
A propagação é feita por sementes, produzindo mudas em sementeiras no solo, em copinhos de jornal ou em bandejas, nos quais as mudas se desenvolvem até alcançarem as características necessárias para o transplante. 
O plantio definitivo ocorre em canteiros, utilizando-se o espaçamento de 30 cm a 40 cm x 30 cm a 40 cm. Também é comum em hortas caseiras o cultivo de plantas espontâneas de almeirão-de-árvore originadas a partir de sementes que caem ao solo. Nesse caso, é recomendado selecionar as plantas mais vigorosas, com boa produção de folhas, para florescimento e coleta de sementes.
O plantio pode ocorrer durante o ano todo em regiões de clima ameno e, de março a outubro, em regiões mais quentes, com temperatura média acima de 25 °C. No geral, recomenda-se o cultivo em períodos com temperaturas menos elevadas. 
A colheita é feita a partir de 60 a 70 dias após o transplante, quando as folhas atingem de 20 cm a 30 cm de comprimento. 
Elas devem estar tenras, firmes e sem sinais de murchamento ou pontos escuros. 
É feita a retirada das folhas, mantendo-se pelo menos 3 ou 4 folhas por planta para que ocorra uma melhor recuperação da planta. 
A colheita deve ser realizada de baixo para cima, estendendo-se por semanas, ou até meses, dependendo das condições climáticas e do estado vegetativo e fitossanitário da cultura. 
A produtividade varia de 20 a 40 toneladas por hectare.

Conservação e usos

As folhas macias são ricas em minerais, especialmente potássio e cálcio. Elas também apresentam boa fonte de proteína e fibras, 18 e 30% em base seca, respectivamente.
Em condição ambiente, as folhas devem ser mantidas depois da colheita com a parte basal em uma vasilha com água e em lugar fresco e arejado. O almeirão-de-árvore pode ser armazenado por cerca de três dias na geladeira, embalados em sacos plásticos ou em um recipiente fechado. As folhas de plantas novas são mais
suaves e saborosas, podendo ser consumidas cruas. No entanto, a forma de consumo mais comum são folhas refogadas ou cozidas.
Também pode ser preparado com feijão e arroz ou como recheio de bolinhos.

Receita:

Farofa de almeirão-de-árvore

Ingredientes

5 folhas de almeirão-roxo
2 ovos
Farinha de milho
Óleo, alho e sal a gosto

Modo de preparo

1. Lave as folhas do almeirão-de-árvore e corte-as em tiras médias.
2. Em uma panela, refogue o alho no óleo, acrescente as folhas e deixe cozinhar por até três minutos.
3. Em seguida, adicione os ovos e o sal e cozinhe por mais dois minutos.
4. Adicione a farinha de milho e misture os ingredientes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário