sexta-feira, 20 de abril de 2018

Cultivares e Composição Nutricional do Brócolis



Cultivares

A avaliação de cultivares nas diversas regiões de cultivo é importante para a recomendação mais correta. Assim sendo, devem ser realizadas a partir de experimentos, em diferentes épocas de plantio, visando coletar dados precisos de seu desempenho agronômico nesses ambientes.
Esses dados associados às variáveis climáticas e de solo das distintas regiões permitirão a escolha das cultivares mais bem adaptadas, geneticamente superiores no que se refere à produtividade e a outras características agronômicas relevantes, tais como tolerância às doenças, ao calor e qualidade pós-colheita.
No mercado brasileiro, há dois tipos de brócolis: o ramoso e o de inflorescência única, também denominado de cabeça-única, calabrês, japonês, americano ou ninja. O tipo ramoso possui caules com menor diâmetro e ramificações laterais, de colheitas múltiplas, que são comercializadas em maços.
As inflorescências do tipo ramoso possuem botões florais menos compactos, mais abertos e de maior tamanho, com menor granulometria, não sendo adequadas para o processo de congelamento (Figuras 1 e 2).
Os brócolis de inflorescência única apresentam inflorescência terminal (cabeça) de maior diâmetro e botões florais com menor granulometria, semelhantes aos da couve-flor (Figura 3).
Tais características são adequadas à industrialização com o produto congelado comercializado em balcões frigoríficos, e o produto fresco comercializado com ou sem embalagem.


Figura 1. Brócolis do tipo ramoso: inflorescência central.


Figura 2. Brócolis do tipo ramoso: inflorescências laterais.


Figura 3. Brócolis do tipo inflorescência única.

No Brasil, as cultivares disponíveis, em sua maioria, são provenientes de programas
de melhoramento genético estabelecidos em regiões de clima temperado, como Ásia, Europa e América do Norte, principalmente em razão da presença de um mercado consumidor mais expressivo.
Em consequência disso, a maior parte das cultivares disponíveis são mais bem
adaptadas ao cultivo nas regiões Sul e Sudeste, em períodos de clima mais ameno, com algumas exceções de cultivares para o cultivo no verão, época quente e chuvosa.
As cultivares disponíveis para brócolis do tipo ramoso são, predominantemente, de polinização aberta e as do tipo inflorescência única são híbridos simples.

Na Tabela 1, são apresentadas as principais cultivares dos catálogos de empresas de sementes de hortaliças do Brasil, em 2014.




Composição Nutricional

As inflorescências, com hastes grossas e tenras e com botões florais nas extremidades, constituem as partes comestíveis dos brócolis. Folhas também podem ser utilizadas, no entanto, pelo uso habitual da couve (couve-de-folha e couve-manteiga) na cozinha brasileira, não é uma prática comum consumir folhas de brócolis.
Os floretes, que apresentam boas características nutricionais, podem ser consumidos
ao natural, como salada, ou cozidos em diversas formas de preparo.

Cada 100 g da inflorescência contêm:

3,8% de fibras; 
29,4 Kcal 90,69% de água;
350 μg de vitamina A (retinol); 
54 μg de vitamina B (tiamina); 
350 μg de vitamina B2 (riboflavina); 
1,681 μ g d e v itamina B5;
82,7 mg de vitamina C; 
0,045 mg de cobre (Cu); 
25 mg de magnésio (Mg);
 0,229 mg de manganês (Mn); 
0,400 mg de zinco (Zn);
325 mg de potássio (K); 
27 mg de sódio (Na); 
400 mg de cálcio (Ca); 
15 mg de ferro (Fe); 
70 mg de fósforo (P).

Além disso, plantas pertencentes à família Brassicaceae e ao gênero Brassica como os brócolis, contêm quantidades significativas de substâncias chamadas glucosinolatos.
Esses compostos são cientificamente reconhecidos por conter propriedades anticancerígenas.
Além disso, possuem grandes quantidades de substâncias nutricionais antioxidantes como as vitaminas A (betacaroteno), C, E e minerais (Ca e Mg).
Ademais, estudos têm mostrado que a infecção por Helicobacter pylori, bactéria responsável pela gastrite, também pode ser erradicada pelo consumo constante de brócolis, principalmente de floretes novos e tenros.
O consumo de grandes quantidades de frutas e hortaliças está relacionado à redução
do risco do desenvolvimento de um grande número de doenças. Atualmente, de maneira geral, os vegetais verdes ganharam ainda mais importância como alimentobásico e necessário à saúde humana.